Já virou tradição: o meio do ano chegou e muitas pessoas se preocupam em realizar o famoso check up anual O objetivo é prevenir doenças, identificar alterações do organismo de forma prematura e manter a saúde em dia. Porém, será que você está fazendo o check up corretamente?
Além de uma análise da saúde do coração, as pessoas se esquecem de verificar o bom funcionamento de um órgão fundamental para o organismo, o rim. Uma das doenças mais incidentes e silenciosas é a insuficiência renal crônica, e o que surpreende, é que poucas pessoas incluem uma visita ao nefrologista, na lista de checagem.
Para ter ideia, a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), estima que 850 milhões de pessoas, no mundo, tenham doença renal decorrente de causas variadas, sendo que as principais são o diabetes e a hipertensão arterial, condições prevalentes e também em ascensão na população brasileira.
No Brasil, inclusive, houve um aumento de quase 200% de pacientes com doença renal crônica, que precisam de diálise – de 42 mil para 122 mil pessoas entre 2000 e 2016, ainda segundo a sociedade. E a situação é preocupante, já que a Doença Renal Crônica (DRC) possui uma taxa crescente de mortalidade que atinge 10% da população mundial e na maior parte das vezes é silenciosa. Engana-se quem imagina que para identificar alguma alteração renal são necessários exames complexos.
Com testes de urina e sangue, é possível identificar alterações. Na análise de sangue, o médico irá avaliar o nível da creatinina, que consiste em um resíduo produzido pela quebra de uma proteína chamada creatina fosfato, eliminada somente pelos rins e fundamentalmente utilizada para avaliar a função renal. Na cultura de urina, itens como a densidade, o PH, glicose, proteínas e nitritos (composição química liberada por bactérias) irão ajudar seu médico a diagnosticar alguma alteração.
Fonte: SEGS – https://www.segs.com.br/saude/178250-saude-renal-deve-fazer-parte-do-check-up-anual-nefrologista-faz-alerta-sobre-doenca-silenciosa – 01/07/2019