A prefeitura do Rio de Janeiro estava sem repassar para as clínicas de diálise que prestam serviço ao SUS os pagamentos da TRS referente às competências de outubro/2017, novembro/2017, dezembro/2017, setembro e outubro/2018. Depois de muitas negociações entre a ABCDT e as clínicas com a secretaria municipal de saúde do Rio e denúncia na Defensoria Pública da União, os pagamentos referentes às competências de 2017 foram pagas. No entanto, a prefeitura queria pagar apenas 10% do valor referente às competências de setembro e outubro de 2018.
“A prefeitura pediu para enviarmos a nota fiscal referente ao valor de R$ 51 mil, sendo que nosso faturamento é em média de R$ 650 mil por mês. É inaceitável! Além de afetar a qualidade do serviço que prestamos, acredito que se trata de improbidade administrativa”, explica Dra. Carmen Villarino, da Nefroclin, localizada em São Cristóvão, no Rio de Janeiro.
As clínicas não tinham mais condições de manter o tratamento dos pacientes, pois em algumas já estavam faltando material. A assessoria de comunicação da ABCDT enviou release para a imprensa expondo o problema. No último fim de semana (30/11/18 – 02/12/18) e na segunda-feira (03/12/18 o tema teve uma grande repercussão na imprensa, com matérias no RJTV (Globo), SBT, O Globo, EXTRA, Rádio Band, entre outras.
Além de acionar a imprensa, a ABCDT enviou oficio conjunto com a SBN e ABRASRENAL para o Ministério da Saúde, Defensoria Pública da União e Secretaria de Estado da Saúde do Rio de Janeiro denunciando o descaso da prefeitura. Ainda houve a manifestação do deputado federal, Glauber Braga, que expôs a problemática do tratamento de diálise no país e, principalmente, do Rio de Janeiro, no Plenário da Câmara dos Deputados.
Após a repercussão na imprensa e a pressão das entidades juntamente com as clínicas e pacientes, a prefeitura efetuou o pagamento da competência de setembro/2018 e nesta quarta-feira (05/12/2018) solicitou às clínicas que enviassem a nota para o pagamento da competência de outubro/2018.
“Gostaria de expressar todo o meu agradecimento aos pacientes, nossa razão de ser, à ABCDT, SBN, ADRETERJ/ABRASRENAL, aos parlamentares que nas três esferas do Governo – Municipal, Estadual e Federal, que apoiaram e acredito que continuarão a apoiar a nossa causa. A todo o judiciário que se envolveu em colaborar conosco e a todos os colegas e profissionais de saúde que trabalham conosco e aos fornecedores, por terem aguentado e ainda estarem suportando os nossos atrasos nos pagamentos, nosso agradecimento e lembrando que essa foi só uma etapa da nossa luta pela vida dos pacientes renais crônicos e que precisam do tratamento para sobreviver. Vidas Importam, a Diálise não pode parar”, declarou Dra. Carmen Villarino.

Posts recentes